Apenas creia.

"não deixe que seus pensamentos, suas palavras, nem as suas ações contradigam aquilo que Deus diz a respeito de você..."

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Não se apegue
















Não se apegue...


Disfarce os vícios. Se forem prejudiciais; abandone-os.
Seja você numa versão diariamente melhorada.
Sorria dos erros. Mas nada de repeti-los, é burrice.
Cultive seu lado romântico, mas não desperdice seu lado durão. Alimente sua ternura, sem abrir mão do temperamento decidido.
Escolha novas cores. Um novo penteado, mas não deixe de usar a camisa que você mais gosta.
Sinta-se bem ao lado de quem lhe quer bem. Aproveite os instantes com quem você ama.
Discorde das pessoas quando você tem razão. Sem nunca impor-lhe suas vontades ou cair na armadilha da petulância de se achar superior.
Abrace sem receios. O abraço é como um laço da caixa de presente. Ao abri-lo, ganha um sorriso.
Busque o sucesso, mas arranque dele o carrapato da arrogância.
Mantenha a simplicidade sem parecer arranjadamente forçada.
Sinta não apenas a tristeza do teu próximo, mas sinta a necessidade de ajuda-lo.
Corra riscos que valham à pena.
Busque o que você procura encontrar. No entanto fuja dos desencontros que causam o que não se busca.
Desapegue-se do luxo. Uma hora dessas você pode descobrir que todo luxo não passa de um lixo reciclado de hipocrisias. 
Fique atento às mudanças. Se forem boas não as evite. Receie-se de algumas coisas que não mudam.
Sonhe acordado. Assim realize-o.
Faça da leitura uma arma para grande descoberta. Descubra mais de você em cada nova leitura.
Troque duas horas de internet por uma hora de uma boa caminhada. Caminhe para o alvo. Não olhe para trás.
Aproveite o que há de bom nas novas tecnologias, todavia não jogue fora os bons costumes.
Não desperdice conselhos. “Quem não ouve conselho vai ouvir: Coitado!”
Domine sua língua. Fale sempre bem menos do que o necessário.
Indigne-se sem irar-se. Proteste com o direito de revoltar-se, mas não se revolte se fores alvo de protestos.
É bom saber um pouco sobre assuntos que parecem ser chatos como política, economia, meio ambiente. Não duvide em algum momento você precisará deles.
Seja livre para pensar e fazer o que quiser. Sem exageros. O que passa do limite estraga.
Dê um jeito de fazer uma viagem pra um lugar que você sonha conhecer. Aprecie uma nova paisagem, assim entenderá a beleza de um novo caminho.
Mas o bom de tudo é que você não se apegue a nenhuma dessas coisas, faça delas traços de um desenho de uma vida que precisa ser rascunhada com cuidado, para que a obra de arte perfeita seja uma vida perfeita pra se viver.

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Um amor a entregar...

















Tenho um amor dentro de mim renascido, reinventado, restaurado. Um amor distante dos contos de fadas, das novelas, dos filmes de comédia romântica. Apenas um amor real que, com seus defeitos sobrevive e com suas vicissitudes, se supera.

Tenho um amor dentro de mim sutilmente profundo. Um amor inimputável pelo erro do passado, mas sem nada a importar-se ou temer, pela liberdade que vive no presente. Um amor que vem sofrendo numa longa caminhada de espera. Reparos que somente o tempo é capaz de moldar com seus truques de dor e de esperança.

Tenho um amor dentro de mim vivo, mas adormecido. Não guarda lágrimas para derramar num desprezo, nem  permite se enganar mais com aquilo que meus olhos tentam convencê-lo. Um amor que não procura porque acredita que, de tão perfeito, desejará ser encontrado.

Tenho um amor dentro de mim capaz de parar no tempo. Não imagina o fascínio do melhor instante para não retocá-lo. É melhor deixá-lo acontecer do que programá-lo. O inesperado encanta mais do que o ensaiado. Um amor de vaidades bobas, como pretender um olhar de cumplicidade e, cheios de coisinhas próprias do amor em suas fantasias.

Tenho um amor dentro de mim sempre fora de época. Faz das flores sua expressão mais singela, como também do bilhete qualquer, a melhor declaração. Tem a cor e suavidade do melhor vinho, o sabor do mais delicioso sorvete a dois. Um amor que não cabe num jantar apaixonado, nem se compara a uma viagem de lua de mel inesquecível.

Tenho um amor dentro de mim como uma marcante canção. É uma música mais completa do que “Detalhes”, mais pulsante do que “amor perfeito”,  mais infinita do que “Eu sei que vou te amar”. Um amor que, se desafina, é porque precisa de outro amor para afinar. Necessita, precisa e ainda assim não reclama.

Tenho um amor dentro de mim lapidado. Não busca nada do seu interesse, para só assim poder ser completado. Não se envaidece porque a razão de existir é quem está do outro lado. Suporta porque crer. Acredita porque espera. Espera porque lançou fora todo medo. Um amor sem medo porque encontrará um outro amor para amar.

Tenho um amor dentro de mim. Pronto. Absoluto. Único. Onde sua loucura é querer doar-se. Um amor que vive na fronteira entre a felicidade e o deserto. A solidão é companhia passageira porque haverá aquela que vem vindo, domando instintos, tomando posse do amor que mudou minha vida que tanto precisava mudar.

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Tão simples










Não se preocupe com o amanhã. Espere ao menos o amanhã chegar.

O amor é a ferramenta para romper barreiras. Não para fazê-las.

Nada é por acaso. Esqueça isso. Deus é sempre providencial.

Faça novos amigos. Conserve os velhos. Seja um amigo de verdade.

Acredite em você. Aceite críticas e tire delas lições para viver bem, não para murmurar.

Confiar em alguém é preciso. Tesouros e pérolas você e outra pessoa têm que saber.

Não fique triste por bobagem. Afinal “tristeza não tem fim, felicidade sim” já dizia o poeta.

Já percebeu que o “nunca mais” na verdade nunca se cumpre?

E o “para sempre”, vejam só;  Sempre acaba.

Então nada de falar o que não pode cumprir. É melhor cumprir sem mesmo ter feito a promessa ao falar.

Aprenda que a família, mesmo com todas as diferenças, é ela que vai estar ao teu lado na hora que o bicho pegar. É sempre assim, já percebeu?

O amor de mãe é o melhor amor do mundo. O resto nem é tão amor assim. É mais prazer do que sentimento.

O mundo é cíclico. A gente nunca vai parar de nos surpreender com nós mesmos e muito menos com os outros.

Seja humilde para reconhecer que não tem como ser o dono da verdade. Nem temos sempre razão. Não sabemos tudo.

Tenha hábitos simples. Sorria muito. Alegre a alma. Corte os excessos.

Ame a Deus de todo o seu coração.

Afinal, de todas as coisas Deus te pedirá contas. Aí será só você e ele.

Certas coisas são inevitáveis. Pois então, evite pensamentos ruins, tente não sofrer. A vida é tão curta para você se encher de mágoas, rancores e ressentimentos.

Assim, se fizermos a nossa parte, teremos um mundo melhor, seremos mais felizes.  Qualquer outra coisa boa, além disso, é fruto das coisas boas que plantamos.

Pensemos nisso amigos.

terça-feira, 5 de abril de 2011

Em algum lugar



















Haverá um dia em que lhe verei chegar. Não sei a hora, não sei se será numa manhã de sol ou numa tarde nublada ou se numa noite inesperada. Mas sei que você vai chegar pra fazer toda diferença na minha vida.

Haverá de chegar sem ser esperada. Chegará como chega as ondas duma maré alta: Calma e despercebidamente tomará conta. Os meus olhos ainda não te buscam, mas meus pensamentos já são teus.  Já tens aqui o teu lugar que, será apenas referencial de acomodação, mas sei o quanto serás completa em mim.

Haverá de vir sem pressa ansiosa. Chegará como um vento forte: Impetuosa, mas ainda sim essencial. A minha vida cederá lugar aos antigos sonhos com uma nova esperança e um novo nome. Não sei o desenho da sua face, contudo a certeza de que estás tão próxima me faz almejar o teu lindo sorriso.

Haverá o momento do inesperado encontro. Chegará como a luz da manhã:  Mais e mais até tornar-se perfeita em mim. Todas as atenções e intenções serão para sempre se para sempre for, tuas. Eis o espetáculo da cumplicidade de uma relação onde confio sem nem mesmo ter o que confiar.


Haverá mesmo sem precisar, o “muito prazer.”! Chegará com a confissão dos olhos: O brilho entrega o que a alma deseja. A partir desse instante, um caminhar, um único caminho, uma única vida em dois corações.  Porque decidir-se é entregar-se.

Haverá o som do silêncio profundo. Chegará como o som de uma cachoeira aos ouvidos: Faz valer à pena toda procura e refrigera a ansiedade da descoberta. O que sobra da vida é uma nova vida cheia de vida para se viver com quem tanto esperou. É a linha tecendo a costura.

Haverá o que ainda mais se pode haver. Chegará como um fruto pra ser colhido: Na estação própria, maduro para ceifa. Não podemos concluir pela exatidão do tempo, mas sabemos que em algum lugar existe. Nada poderá impedir aquilo que Deus determinou desde o ventre de nossas mães. O amor está a caminho, a caminho de amar.

quinta-feira, 3 de março de 2011

Recalcitrante
















Não há esperança cega
Quando o que nos move
É a doce e implacável sede de conquistar e vencer.
Não há montes, neblinas, não há cansaço ou fadiga
Enquanto os gritos dos miseráveis ecoarem
Entre os vales de almas jejunas de dias mais vivos.
Sufocam-nos com sua fina e sangrenta estupidez domiciliar.
Esperneiam ferozmente no limbo das contrariações.
Ideias velhas, estilos rudes, pensamentos soberbos
De um egoísmo que cheira mal, de uma falsidade
Que mais parece um truque de mágica: uma ilusão aos olhos,
Uma mentira à consciência.
Os reis sem reinado. A rainha sem coroa. A omissão subserviente.
Sem temer os riscos que a luta impõe. Sofro combatendo à guerra fria, sem combate aparente.
Morrerei sem desistir de dar um passo sequer rumo ao impossível (aos olhos dos tolos).
 Mas triunfante, sem medo, sem me curvar a indecente predileção imposta pelo rei sem trono.
Não existe solidão. Quando se tem na caminhada um sonho e um objetivo.
Remover a voz dos discordantes quem se dará a tal proeza?
Não se silencia a avalanche de vozes e de sentimentos.
O inimigo triunfará sempre quando deixarmos a desordem fazer parte das nossas próprias fileiras.
Mas sabemos, afinal, quem são os nossos inimigos?
Não me rendo,
Não sucumbo,
Prefiro morrer de pé
A ter que me humilhar de joelhos.
Existe algo muito maior e mais profundo
Que afaga a rebeldia, algo mais sublime,
Uma nova terra à vista.
Um quinhão de riquezas à espera daqueles que são de fato e de direito seus legítimos donos.

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

à procura




















À procura






Nem mesmo a última chama da ardente espera


Seria igual àquela coisa que mexe por dentro,


Que causa arrepios, suspiros da sensação “ah quem me dera”...


O encontro de um encontro de vontades que estão no centro.






O pensamento se perde na presciência do momento,


Os ensaios das palavras certas, dos gestos, da postura


Sem saber que a forma natural é o que se procura,


Pois é ela que se aproxima da realidade sem juramento.






Da realidade do dia-dia sem maquiagem do formalismo,


Todas as retóricas perdidas através das coisas comezinhas


Que chegam despercebidas no lugar do infinito idealismo,


Mesmo se a compleição vai perdendo para os detalhes das coisinhas.






E estar à procura de alguém é como não saber se vai estar lá,


Quem procura jamais prescinde do fascínio da espera


Ainda que o tempo nunca nos diga quem de fato era


Se quem procurávamos seria quem deveríamos amar.